O Urso

Existem aqueles encontros, onde quatro amigas marcam com quatro amigos, na esperança de que algo surja dali.minhaFoto (7)

Foi num desses encontros que conheci o “Urso” (vou usar esse termo, utilizando do dicionário gay, e além do mais o cara era um Ursão). Ele tinha no mínimo 1.95 de altura, moreno claro, cabelos alinhados, cheirosíssimo, educado, cavalheiro, grandão, daqueles que parece que a mãe natureza os poupou de malhar… Bati o olho e meu corpo inteiro já quis ele. Minha mente imaginava cada coisa com ele…minhaFoto (4)

Nesse encontro com quatro casais que não se conhecia era impossível, impossível mesmo uma conversa com o lindo Urso. Todos falavam ao mesmo tempo.Com o passar do tempo até desisti e comecei a curtir a noite!minhaFoto (1)

E entre risos e muita cerveja conseguimos trocar os números de telefone, bem à moda antiga, escrito num guardanapos.

No dia seguinte, eu que sou meio orgulhosa, pensei muito antes de ligar e por fim, minha necessidade corporal venceu. Liguei e marcamos de nos encontrar, ele me buscaria fim do expediente no trabalho. Achei fofa a sugestão, e toda empolgada fui utilizar o meu “Kit saída emergencial”.minhaFoto (2)

Que consistia em: Calcinha limpa e sensual e o sutien que acompanhava a calcinha, lenços umedecidos, perfume, uma make mais bonitinha, anéis, pulseiras.. Coisas que não costumamos usar em ambiente de trabalho e claro, camisinhas (várias). Gastei uma meia hora me aprontando no banheiro do trabalho.Toda hora eu olhava no relógio, e por fim, ao soar das 18hs voei pra fora do prédio como se ele tivesse em chamas, aliás, eu que estava em chamas…

E lá estava ele, todo lindo! Abriu a porta pra mim… E me perguntou em que bairro eu morava. Eu respondi, ele ligou o carro e foi dirigindo, eu estava embevecida com a beleza dele e não estava observando o caminho que ele estava percorrendo, e do nada ele me chama a atenção com um: “e agora Anjo, vira onde?” foi quando eu percebi que estávamos no meu bairro. Enfim, dei as coordenadas e ele me deixou na porta de casa, com um leve beijo no rosto e disse: “Bom descanso meu Anjo”.

Sem reação desci do carro e entrei em casa, com mil e um pensamentos… dentre eles: “Que porra foi que eu fiz de errado?”, “Será que ele foi criado por pássaros?”, “Será que fui dispensada como amostra de hidratante?” ou seja, pensei de um tudo que há nessa terra.

No dia seguinte e nas semanas seguintes (torno de um mês) esse ritual se repetiu, mas sem o uso do meu kit, algo me dizia que ele não seria utilizado mesmo. Apesar que rolava uns amassos  bem convidativos… Coisa mais gostosa do mundo, e eu pensava que ele ahazava na cama…minhaFoto (6)

 

Um belo dia, ele me chama pra sair (OHHHH Glória!!! ), eu já estava cansada desse “rodeio de toco infinito”, e disse que me pegaria por volta das 22hs, para “a melhor noite da minha vida“.

Minha ansiedade transbordava, mas consegui me arrumar dignamente, até uma lingerie toda sedutora (isso não é o meu forte…) eu consegui, vesti um dos melhores vestidos… Salto. Enfim, perfeita para minha noite perfeita.

No horário marcado ele chegou, desceu do carro, usou a campainha. Ele não estava aquilo tudo que todos os outros dias ele me mostrava, parecia que ele estava bêbado… Aquilo me deixou intrigada, mas não me impediu de entrar no carro.

Ele foi andando e parou no pior motel da cidade, no pior, pior… só mais uma vez…  o pior. A suíte Master Blaster é pior que o quarto do meu irmão, mas ele pediu ela… Ah, e lá é caro. E eu só pensava: “É o apocalipse chegando, é o fim do mundo, só pode”. Mas a sede de ter aquele ser era demais… respirei fundo, como quando se faz quando se vai mergulhar e fui.

Ao entrar no quarto, ele sem cerimônia alguma… arrancou os sapatos e já foi tirando a roupa, como que se tivesse em casa, sei lá, num presídio, enfim… aquele ser lindo e maravilhoso não estava ali, quem estava ali não pertencia aquele corpo. E eu fiquei catatônica.

Ele virou pra mim, com aquela neca murcha e disse: “Anjo, vou tomar um banho, acho que tô bêbado”. E foi pro banheiro, e não tinha porta… e não tinha como não ver a cena, dele sentado no trono, fazendo caras e bocas, e ainda puxava assunto… e eu não conseguia administrar isso na minha mente, não mesmo.cagar Daí tive a brilhante ideia de ligar a TV, e coloquei no volume máximo, mas mesmo assim eu ainda ouvia a voz dele, falando alguma coisa referente ao trabalho dele.

Então ele terminou o banho, se enrolou na toalha e me disse: “Uai, já não tá pelada não?!?” (“Pelada” é um termo tão tão tão construção civil, chulo).

E eu disse: “Não, não tem clima pra isso!!!

E ele: “Mas estamos num Motel.”

E eu: “Não consigo.

E ele: “Só que daqui não saio sem gozar

Daí ele ficou em pé, colocou uma das pernas pra cima, pegou naquele neca murcha e começou a tocar uma, na minha frente… e ficava falando: “Tem certeza que não quer?!?”, “Tá gostoso viu”.minhaFoto (3)

Dei aquela revirada básica de olhos e comecei a prestar atenção da TV, só que era uma missão impossível… Porque ele URRAVA como um animal, URRAVA e quando esse ser gozou, caramba… Que URRO foi aquele? O motel tremeu, não durou dois minutos, o que pra mim foi uma eternidade…

Me senti envergonhada, chateada e frustrada e claro, com muita vontade de rir, porque ele simplesmente se deitou na cama e fechou com chave de ouro: “Você não sabe o que perdeu”. Se deitou e foi dormir…minhaFoto (5)

E eu pedi um taxi.

minhaFoto

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s